segunda-feira, 3 de julho de 2017

Copa União, de FW: Quarta rodada recheada de gols

Os goleiros sofreram com a efetividade dos setores ofensivos na quarta rodada da Copa União – Cotrifred 60 anos, de Frederico Westphalen. Entre as seis partidas realizadas na tarde deste domingo, 2, as redes foram balançadas 23 vezes e elevaram a média de gols do certame, que resta somente uma rodada para ter encerrada a fase de grupos. O destaque ficou com Bangu e Itapagé, que aplicaram sonoros 6 a 0 e 9 a 0 sobre Polo Chapecoense e Maragatos, respectivamente. Ainda, os jogos da quinta rodada serão no próximo fim de semana nas sedes do Castelinho, São Cristóvão e Sem Compromisso, em Osvaldo Cruz.
Confira a matéria completa e a classificação nas próximas edições impressas do jornal O Alto Uruguai.
Resultados da 4ª rodada
Sede: Osvaldo Cruz
Itapagé 9 x 0 Maragatos
Osvaldo Cruz 1 x 1 Grêmio Castelinho
Sede: Guarani
Polo Chapecoense 0 x 6 Bangu
Guarani 1 x 0 Serrano
Sede: Náutico
Santos 1 x 1 Sem Compromisso
Náutico 2 x 1 São Cristóvão

Fonte: O ALTO URUGUAI
Foto: Ed Moreira/O Alto Uruguai

Resultados do futsal gaúcho neste sábado, 1º de julho

Liga Gaúcha
01/7, em Tapera - AMÉRICA 8X2 SOBRADINHO
01/7, em Boa Vista do Buricá - ABELC 0x5 ASIF
01/7, em Caxias do Sul - ATCEL 4X5 BGF
Série Prata
30/06/17 SEX 21:30 ACBF 1X3 PASSO FUNDO
01/7, em Salto do Jacuí - ADCH 5X5 AFF
01/7, em Parobé - PAROBÉ 5X1 AGE
01/7 - ASSAF 2X1 AEU
01/7, em Horizontina - HORIZONTINA 3X4 SER ALVORADA
01/7, em Tupanciretã - FIGUEIRA 2X7 LAGOA
* 30/6, em Cerro Branco - ACBF 1x3 PASSO FUNDO
Série Bronze
01/7, em São Gabriel - PALMEIRAS 7X3 UFSM
01/7, em Caçapava do Sul - ACF 5X3 SÃO JOSÉ-CS
01/7, em São Sepé - LA MÁQUINA/CASUAL 3X3 SER SANTIAGO
01/7, em Jaboticaba - JABOTICABA FUTSAL 4X2 GAÚCHO
01/7, em Santo Ângelo - ASAF 3X4 SI CRUZ ALTA
01/7, em Carazinho - MENINOS DA VILA 1X9 COMETA
01/7, em Cerro Largo - CERRO LARGO/LOJAS BECKER 3X2 JAQTÁQVÁ
01/7, em Caxias do Sul - MGA GAMES 5X5 XV DE NOVEMBRO
01/7, em Teutônia - ASTF 4X2 SERCCA
01/7, em Rio Pardo - NADAS BRANCO 3X0 MAXXY CANDEIAS
01/7, em Marau - AMF 8X1 ACESA
Estadual Feminino
01/7, em Marau - AMF 6X5 ASAFF
01/7, em Uruguaiana - CELEMASTER 7X4 ACBF
01/7, em Rodeio Bonito - COMETA 1X1 MALGI
* Com informações do Blog do Sandro

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Sim... O Grêmio tem um grande goleiro!

Agosto de 2016, Grêmio vence o Atlético Paranaense na Arena da Baixada por 1 a 0 – gol de Bolaños. Aproximadamente um mês depois as equipes voltam a se enfrentar na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Jogo tranquilo, apesar de estar estreando seu novo treinador Renato Portaluppi. Em 29 minutos, o domínio era Tricolor e o que podia fazer de leitura era que, se continuasse daquele modo, somente um falha colocaria a classificação as quartas de final em risco. Pois bem, aos 30 minutos ela aconteceu. Uma falha ridícula, na súmula o gol foi para André Lima, mas Marcelo Grohe foi o responsável pela proeza: um erro ridículo, um “piru sem rabo”, um dos maiores “frangos” do ano. Placar mantido, derrota por 1 a 0 e decisão por pênaltis. Intermináveis dezesseis cobranças, oito para cada equipe, para, aí sim, ser consumada a classificação gremista: triunfo por 4 a 3. O personagem? Novamente ele, Marcelo Grohe. Agora, defendendo três cobranças e, na que foi desperdiçada por Paulo André, tendo total mérito por desconcentrar o zagueiro. O camisa 1, vivia momentos de indecisão. Uns clamavam por sua saída, outros pediam permanência.  Naquele jogo, ele colocou aquilo em prático, foi vilão e herói.
Porque lembro aquele jogo? Para tentar exemplificar as condições do goleiro gremista. Naquele jogo, Grohe foi escancaradamente ele mesmo: irregular. Importante negativamente em momentos de calmaria, importante positivamente em momentos de apuro.  Momentos, me refiro a situação de jogo e periculosidade das jogadas. Quem é goleiro, ou ao menos conhece a posição, sabe do que estou falando, muito tem haver com “zona de conforto” e nível de concentração. Todos os jogadores, de todas as posições, enfrentam essas condições, mas o goleiro quem mais pode se prejudicar e, também, beneficiar com isso, simplesmente porque raramente terá alguém por ele, ou seja, para concertar uma falha ou então para aplicar um milagre e evitar o “gol certo”. Marcelo vive isso, rigorosamente toda temporada. É instável. Num achismo, considerando esses aspectos, me parece – com quase toda certeza – que essa instabilidade se dá em consequência de não conseguir/saber assimilar bem as circunstâncias de jogo com as emocionais, ou ainda, por não reconhecer seus limites.
O ápice de Grohe foi em jogos com pressão, especialmente no seu surgimento. Victor ia para a Seleção, o filho do Olímpico era acionado para substituir o melhor goleiro em atividade no futebol brasileiro da época. Dava conta do recado, nível de concentração elevado. Quando reserva, sempre foi assim, nunca decepcionou. Meados de 2012, Victor ruma ao Atlético Mineiro. Marcelo Grohe recebe sequência e status de titular, mas fora das quatro linhas os cartolas procuravam goleiros, novamente pressionado e correspondendo. Em 2013, Dida é contratado e assume titularidade. Enfim, titular absoluto e com respaldo da diretoria em 2014. Inconscientemente, acredito eu, pressionado devido ao histórico recente – muito bem em 2012, mesmo assim reserva de Dida em 2013 – e correspondeu, ficou entre os cogitados para ir à Copa, manteve regularidade e foi um dos melhores goleiros brasileiros em 2014 e 2015. Chegou a Seleção. Foram momentos de afirmação, precisava mostrar serviço. E, mostrou. Goleiro competente, com poucas falhas e defesas milagrosas.
Em 2016, um novo Marcelo, ainda milagreiro em jogos importantes, mas também que falhava em lances inoportunos. Aí, imagino, que entra o fator psicológico. Não foi à Copa, talvez pela preferência de Dida no gol gremista em 2013. Na Seleção, quando convocado, disputou posição com Jefferson em fase extraordinária e, posteriormente, Alisson Becker, um jovem ascendente à ser preparado para Copa de 2018. Pior, Alisson vestia as cores do rival e comprovou sua qualidade em 2015/2016. Muita coisa afetou Grohe, inclusive isso. A queda de rendimento vai a encontro daquele jogo citado lá no início, pois lá já havia cobranças de parte da torcida, que pouco tempo antes o tratava com idolatria. Lá, ano passado, contra o Atlético-PR, foi o recomeço de um goleiro que terminou a temporada levando taça e sendo personagem de um Grêmio que quebrou um jejum de 15 anos sem títulos de relevância a nível nacional. Porém, entretanto, toda via, o último marco com bola rolando do torneio foi um golaço de Cazares, num chute desferido antes do meio-campo, por cobertura, que só foi possível graças a uma desatenção do camisa 1.


Título, vida nova? Marcelo Grohe das “antigas”? Não, a versão 2017 segue instável. Perdeu a vaga na Seleção. O retorno massivo das cobranças aconteceu no domingo, 25 de julho, na Arena do Grêmio, contra o Corinthians. O Tricolor perdeu por 1 a 0, uma bola pelo meio das pernas de Grohe. No jogo seguinte, na quarta-feira, 28, novamente em Porto Alegre, curiosamente Copa do Brasil contra o Atlético Paranaense e o goleiro pouco foi exigido, e nas raras vezes foi extremamente competente – com uma defesa providencial que evitou tento do Furacão. Mas, o “mas” lhe acompanha... Marcelo agarrou um recuo de Geromel, que aparentemente buscava o Kannemann, acertadamente a arbitragem marcou tiro-livre indireto praticamente na pequena área. A cobrança parou na zaga, sorte de Grohe. Estava 0 a 0, se entrasse, a história do jogo poderia ter mudado. Típico lance de desatenção.
Enfim, não estou dizendo que o goleiro gremista tem que ser reserva, que não possui qualidade ou coisa parecida. Ao contrário, Marcelo tem futebol para estar entre os melhores goleiros do Brasil. É, apesar das falhas, um dos melhores em atividade no futebol brasileiro (lógico que levando em conta que está no Top 10 num país de quatro divisões nacionais e com mais de vinte estaduais com, no mínimo, duas divisões). Grohe surgiu como goleiro seguro, porém o tempo e a necessidade de recuperar credibilidade transformou-lhe num goleiro firulento, que prefere uma defesa com rodopios ao invés de uma intervenção segura e menos “expressiva em gestos”. Estou falando de um goleiro que admirei muito, estou falando de um goleiro questionado devido a alguns detalhes, pequenos, mas suficientes para mudar o rumo de uma partida de futebol.
Atualmente, com 30 anos, o arqueiro necessita reconhecer suas limitações. A fase que era unanimidade no Brasil passou, nem no Grêmio transmite toda segurança de outrora. Para os bons ventos soprarem favoravelmente, precisa-se manter o “foco total” durante os 90 minutos e, talvez, esquecer o que passou, até porque os elogios deixaram-no superestimado. Por fim, o Grêmio tem sim um grande goleiro. O Grêmio tem Marcelo Grohe... um sujeito de muita qualidade, mas de pouca concentração.

Melhores momentos: Cometa/Rodeio Futsal 6 x 2 União Independente

video

quarta-feira, 28 de junho de 2017

VÍDEO: A mitagem de Túlio Maravilha!

HAHAHAHAHAHA MIL GOLZITO!

Amigos do Irapuá sagra-se bicampeão Varzeano de Miraguaí

A inédita Taça Flávio Cristiano Botton ganhou um detentor, porém o rótulo de campeão varzeano de Miraguaí segue sendo exclusividade do Amigos do Irapuá. Campeão na edição 2014, até então última edição do certame municipal de futebol de campo, a equipe comandada pelo técnico Jegue conquistou o bi na tarde do domingo retrasado, 18 de junho, no campo localizado na sede do Canarinho, no distrito de Tronqueiras. O título da edição 2017, no entanto, teve contornos dramáticos numa decisão marcada pela intensidade diante do forte time do São Paulo Futebol Clube, da linha São Paulo.
Em suma, foram quatro expulsões – duas envolvendo jogadores que estavam no banco de reserva, e uma para cada jogador de linha. Enquanto esteve com um jogador a mais, por praticamente um tempo inteiro, o Amigos do Irapuá não aproveitou as chances e construiu sem resultado na etapa complementar, com tentos de Maurício Lito e Flávio Rosca, enquanto Caio descontou para o São Paulo. Com a vitória de 2 a 1, além do titulo, o time irapuáense consolidou Maurício Lito como artilheiro. O prêmio de Goleiro Menos Vazado foi para o vice-campeão Odair Karas, enquanto a representação do Esporte Clube São Roque conquistou o Troféu Disciplina.
A competição foi promovida pela Secretaria de Esportes, com apoio da administração municipal de Miraguaí.

O jogo: elétrico e nervoso, mas com lealdade
A grande decisão colocou frente a frente o melhor ataque contra a defesa menos vazada, mas quem começou tirando o “uuh” do torcedor foi o São Paulo. Por três vezes, as tentativas pararam na trave do goleiro Gabriel, que na etapa complementar voltou a contar com a mesma sorte numa oportunidade. No entanto, o Amigos do Irapuá também atacou com efetividade e quase chegou ao gol em duas cobranças de falta que rasparam a trave. O controle do jogo tornou-se ainda maior para o Amigos do Irapuá quando Leandro  Bressan cometeu duas faltas em menos de dez minutos, foi advertido com dois cartões amarelos e, sendo assim, por consequência, o vermelho.
Mesmo com um jogador a mais, o time do Irapuá não conseguiu abrir o marcador no primeiro tempo e também teve seu jogador expulso no período final. Maninho também levou dois cartões amarelo e, em seguida, o vermelho, no entanto isso não diminuiu o ímpeto ofensivo. Com mais espaço, Mauricio Lito quase marcou ao cabecear forte na trave, no entanto o artilheiro “correu para o abraço” minutos depois ao desferir um chute rasteiro da entrada da grande área. Mesmo após o placar aberto, os comandados de Jegue insistiram e encontraram a tranquilidade através de Flávio Rosca. O veterano tornou-se figura da partida tento papel determinante na valorização da posse de bola e foi recompensado com um rebote do goleiro Odair, tento apenas o trabalho de empurrar para as redes e abrir dois gols de vantagem.
Sem sofrer grandes apuros, os Amigos do Irapuá se encolheram no campo de defesa, enquanto o São Paulo tentava na base do abafa, mas não conseguia ser efetivo. Aos 44 minutos da etapa complementar,  Caio Schneider sofreu falta a um passo da grande área e tratou de colocar no canto do goleiro Gabriel, descontando para 2 a 1. O tento voltou a tornar a partida nervosa, a pressão tricolor foi forte, mas a zaga dos Amigos do Irapuá se sobressaiu para segurar o 2 a 1 e carimbar a hegemonia da equipe desde o retorno do Campeonato Varzeano ao calendário esportivo de Miraguaí.

Campeão: Amigos do Irapuá
Vice-campeão: São Paulo Futebol Clube
Troféu Disciplina: Esporte Clube São Roque
Artilheiro: Mauricio Lito (Amigos do Irapuá) – 13 gols feitos
Goleiro Menos Vazado: Odair Karas (São Paulo)